Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

 

Um trabalhador da construção civil caiu de uma altura de três metros, na manhã desta sexta-feira (17), na obra da fábrica da montadora sul-coreana Hyundai, em Piracicaba, no interior de São Paulo. O trabalhador, que era de uma empresa terceirizada, teve ferimentos leves. Esta é a segunda vez, em menos de um mês, que acidentes como esse ocorrem na obra da montadora. Em janeiro deste ano, um trabalhador morreu após cair de uma altura de quatro metros.

Segundo as primeiras informações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o homem teria fraturado o punho e seu estado não é grave. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado ao Centro de Ortopedia e Traumatologia (COT).

Em nota, a Hyundai afirmou que a atividade realizada pelo trabalhador acidentado era no primeiro andar do prédio, onde será o restaurante da fábrica. Segundo a montadora, o trabalhador usava os equipamentos necessários para a atividade que realizava, tais como óculos, protetor auricular, capacete e bota de segurança.

A empresa informou, ainda, que está verificando junto à empresa construtora as causas do acidente. Por fim, a Hyundai Motor responsabilizou a homônima Hyundai Amco, empresa do mesmo grupo contratada para a construção da fábrica e, portanto, responsável pelos trabalhadores de obras.

A advogada da Hyundai Amco, Priscila Magioni Santini, disse que a empresa faz uma constante averiguação das subcontratadas para prevenir acidentes. “Nós temos feito, inclusive, treinamentos intensos para trabalho em altura. Conforme está previsto na lei, fazemos treinamento de 8 horas com os trabalhadores e reportamos tudo ao Cerest, sempre da prevenção”, afirmou.

A coordenadora do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), Clarice Aparecida Bragantini, informou que o Cerest vai enviar um fiscal ao local para checar os procedimentos de segurança. “Da primeira vez o caso foi avaliado e nós fizemos um relatório que foi encaminhado do Ministério Público. Hoje vamos enviar outro fiscal para avaliar a ocorrência”, garantiu.

Histórico
Na ocasião da morte do trabalhador da Hyundai, em janeiro, funcionários da empresa informaram que o trabalhador estava no telhado de uma obra quando caiu. Segundo um funcionário que não quis se identificar, os trabalhadores não usam o cinto de proteção com gancho que é indicado neste tipo de trabalho. Já o Corpo de Bombeiros informou que o homem caiu de uma escada.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o trabalhador foi socorrido pela Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ele estava vivo após o acidente e foi levado com vida para o Hospital dos Fornecedores de Cana (HFC). O hospital, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que Silva já chegou ao local entubado e com politraumatismo.

Fonte: www.globo.com




Copyright © Angare | Referência e tradição em EPI e Proteção em Altura 2011.